Por que mais projetos de TI são negociados por presidentes de empresas.

Postado em 19 fev 2019

Tags: 2Cloud, armazenamento de dados, Business Intelligence

banner-contrato

O conceito de governança corporativa está ligado à forma como a empresa exerce o controle sobre o seu próprio negócio. Faz parte desse processo definir os papéis, os direitos e os deveres de seus participantes, realizar o planejamento, os investimentos, o posicionamento no mercado e as operações da companhia.

O estabelecimento e a continuidade da governança corporativa implicam no uso dos dados da empresa e do mercado para gerar informação. Esses dados serão essenciais para a tomada de decisões das lideranças da organização, as quais visam o crescimento sustentável do negócio. Neste contexto, a Tecnologia da Informação (TI) fornece sustentação para o processo de melhoria da governança corporativa ao fornecer informações para que os objetivos da empresa sejam alcançados.

Três questões iniciais que são importantes para a governança corporativa

Através do fornecimento da infraestrutura que permite a geração e o processamento dos dados úteis para uma organização, a área de TI contribui com a definição de meios para que os objetivos da companhia sejam atingidos e para que a performance desses indicadores seja monitorada de forma constante.

Com o apoio da computação em nuvem e o uso da infraestrutura de TI fornecida por ela para o tratamento e a análise dos dados, a gestão de uma organização ganha em agilidade, redução de custos e inteligência de dados.

Na prática, a governança corporativa proporciona um conjunto de procedimentos para que seja feita uma gestão de informações úteis ao processo de tomada de decisão das empresas.

Alguns desafios das empresas para estabelecer a governança corporativa estão ligados ao reconhecimento de três fatores:

1. Quem é o líder de cada área, segmento ou time na empresa?

Para responder a essa questão, a empresa deve questionar o seguinte: a liderança está no próprio setor, o comando de toda a atividade é centralizado ou há decisões tomadas fora, como por empresas terceirizadas?

2. Quais são as regras que garantem o funcionamento de tudo?

Pode ser um contrato firmado com uma empresa terceirizada ou um conjunto de regras e procedimentos da própria empresa. É necessário conhecer formalmente – e em detalhes – como cada área da organização funciona.

3. Quanto custa a operação?

Da hora de trabalho do colaborador até o custo per capita de uma solução terceirizada que a empresa contrata, é primordial converter todas as informações em custo e benefício para que a empresa possa tomar decisões de forma mais assertiva.

Esse conjunto de dados é algo fundamental para que a governança corporativa sobre qualquer área da empresa possa ser desenvolvida. Conhecer as políticas da empresa, sejam elas internas ou voltadas ao atendimento dos clientes, permite identificar quais dados são mais relevantes – lembrando que é a análise dessas informações que vai permitir reconhecer e resolver problemas recorrentes da empresa.

No setor de TI de uma companhia, por exemplo, políticas de backup, monitoramento de dados, configurações entregues, abertura e incidência de chamados por tipo sinalizam para os problemas que aparecem com maior frequência na organização. A continuidade do monitoramento dessas informações, portanto, será um ponto essencial para embasar a governança corporativa da empresa.

Vamos dar outro exemplo. Se, por mês, são abertos 50 chamados relacionados a um problema relacionado à limitação do ERP (Sistema de gestão) utilizado pela empresa, esse indicativo pode sinalizar para o gestor da empresa que ele deve analisar a solução e, junto com o gerente de TI, propor melhorias. Assim, o foco volta as maiores demandas da empresa a partir do setor de TI, o qual contribui, dessa forma, com a melhora da governança corporativa da organização.

De que maneira a nuvem pode contribuir com a governança corporativa?

Quando diversas funções rotineiras da área de TI de uma empresa são terceirizadas para uma companhia que oferece soluções em nuvem, a sua equipe interna de TI terá mais tempo livre para melhorar a gestão das informações da sua organização. O efeito prático disso será a melhoria da base de sustentação dos dados da sua governança corporativa.

Com os processos de backup e de gestão dos recursos de TI sendo feitos por uma equipe de especialistas que atuam com esses serviços na nuvem, a equipe interna de TI da sua empresa poderá analisar e monitorar os dados relevantes da empresa, produzir relatórios consistentes e ajudar a companhia a tomar melhores decisões. Essas informações, por sua vez, são fundamentais para que os mais diversos cenários e oportunidades possam ser identificados e estudados.

Assim como a contratação de serviços como banco de dados, softwares, servidores e outros através da internet reduz a necessidade de instalações e investimento em infraestrutura própria dentro da companhia, a migração para a nuvem reduz o tempo que os especialistas do seu setor de TI gastavam com atividades relacionadas à manutenção da infraestrutura e ao armazenamento dos dados.

Organizar melhor seus relatórios e poder desenvolver as estratégias baseadas em Business Intelligence são outros benefícios conquistados por uma organização que migra para a nuvem. Isso irá permitir que a sua empresa use as informações disponíveis para descobrir se está perdendo recursos em uma linha de produção ou em um determinado departamento, por exemplo.

Assim, ao favorecer a inteligência no uso dessas e de outras informações, a computação em nuvem torna-se uma importante aliada para a governança corporativa da sua empresa.

Gostou deste conteúdo? Se você se interessa pelas tendências em tecnologia e pela computação em nuvem, confira outros textos sobre esses assuntos no nosso blog e aproveite para acessar os nossos materiais gratuitos. Recomendamos para você o conteúdo “Os 3 principais serviços em nuvem: descubra qual faz mais sentido para a sua empresa”

Link da agência Brava Digital