fbpx

Continuidade das operações: o que um Data Center Tier III tem a ver com isso?

data-center-tier-iii-continuidade-operacoes-2cloud

Hoje em dia, no mundo corporativo em que as empresas não podem parar e precisam ter segurança para as suas operações, quem tem uma infraestrutura interna básica de TI corre muito risco. Isso porque, conforme algumas notícias do primeiro trimestre demonstraram, se um data center que abriga serviços em nuvem pode explodir ou incendiar, imagine um data center interno de uma empresa…

Mas então, se mesmo data centers semiprofissionais não são 100% seguros, como a sua empresa pode minimizar os riscos de perda de informações e de dados? A melhor solução do mercado passa por uma certificação de uso internacional. Para maximizar as suas chances de manter a continuidade das operações da sua empresa, o mais recomendado é investir em um serviço em nuvem que funcione em um Data Center Tier III.

Afinal, o que diferencia um Data Center Tier III das outras opções do mercado?

Antes, vamos voltar um pouco para o básico. Por que é tão importante para uma empresa escolher um data center seguro, de qualidade e que funcione com uma lógica antidesastre? Vale lembrar que um data center é o local onde as informações e os dados da sua empresa “vivem”. Ou seja, é em um data center onde pulsam o coração da sua empresa e o que a diferencia da concorrência.

Daí você pode estar se perguntando: “OK, mas existem muitos tipos de data center?”. Sim, como acontece com qualquer outro produto ou parte de uma infraestrutura que você possa adquirir, no caso dos data centers também existem diversos níveis de qualidade. E aí surge a diferença entre um Data Center Tier III e outros que povoam o habitat dos serviços de Data Centers do mercado.

Um data center para serviços em nuvem com certificação Tier III precisa ter a sua infraestrutura na modalidade N+1. O que isso significa, na prática? Que esse data center funciona com a mesma lógica da infraestrutura de um avião, onde o lado direito da aeronave tem os mesmos equipamentos, aparatos e sistemas que o lado esquerdo.

E por que um avião precisa que os dois lados da sua estrutura tenham a mesma infraestrutura? Porque se um dos motores do lado direito falhar, ou se houver alguma pane elétrica nesse mesmo lado da aeronave, o motor e o outro lado da aeronave continuam em funcionamento, propiciando a segurança necessária para que o avião continue operando. Assim, mesmo que surja um problema, o piloto poderá continuar voando e buscar um pouso de emergência sem que aquela situação transforme-se em uma tragédia.

No caso de um Data Center Tier III, que deve ter uma infraestrutura N+1, a lógica é a mesma. Para ter uma certificação Tier III, um data center com essas características deve funcionar em um ambiente totalmente controlado e que tenha a mesma infraestrutura funcionando de forma redundante em duas salas distintas (isso em relação a comunicação, energia e refrigeração).

Dessa forma, um Data Center Tier III tem servidores que são alimentados por circuitos elétricos, geradores, nobreaks, ar-condicionado e roteadores de internet independentes e que funcionam próximos de outra sala com todos esses equipamentos e infraestrutura funcionando também de forma diferente.

É como se você tivesse um data center duplicado ao lado de outro data center com a mesma infraestrutura, fontes de energia, de refrigeração e de comunicação, exceto a parte lógica (processamento e armazenamento).

Assim, quando você adota um serviço que funciona em um Data Center Tier III, você sabe que se o “lado A” do data center falhar, o “lado B” vai continuar fornecendo a infraestrutura de que você necessita. Ou seja, a continuidade das operações da sua companhia está garantida. É por isso que um Data Center Tier III é considerado a melhor solução do mercado.

Ah, e outro ponto importante: um Data Center Tier III nunca vai funcionar em um prédio comercial com outras empresas. Por isso, geralmente é mais fácil você encontrar uma infraestrutura como essa longe das áreas centrais de uma cidade. Para ter a certificação Tier III, um data center deve funcionar em um prédio próprio para evitar que a infraestrutura que dá segurança para o seu negócio esteja em determinado andar de um prédio e que próximo dali outro negócio com risco de incêndio esteja operando.

Isso significa segurança para as empresas que optam por um serviço em nuvem que funcione em um Data Center Tier III. Mas não é tudo. Quando uma infraestrutura como essa é instalada em um prédio próprio, fica muito mais fácil implantar redes de alimentação de energia elétrica e de infraestrutura de telecomunicação independentes.

Assim, o “lado A” do data center receberá uma infraestrutura de alimentação de energia e de telecom independente do “lado B”. Com isso, se um caminhão passar por um lado do prédio e romper a fiação elétrica ou os cabos das operadoras de telefonia, interrompendo o funcionamento do “lado A” do data center, a infraestrutura de energia e de telecom do outro lado do prédio garantirá que o “lado B” continue em funcionamento até que os problemas originados pelo acidente sejam solucionados.

Outra segurança dos data centers com essa certificação é que eles, por operarem em prédios independentes e seguros, têm os geradores e a área do diesel do lado externo do prédio – o que também minimiza o risco de incêndios.

Interessante comentar que os Data Center Tier III precisam testar esta redundância N+1 de tempos em tempos. Porque de nada adianta você ter uma ótima infraestrutura à sua disposição ou um plano de emergência em caso de incêndio na sua empresa se você não testar a eficiência de tudo isso antes, não é mesmo?

Normalmente, cada lado de um Data Center Tier III é testado uma vez ao ano. Nessa ocasião, toda essa parte da infraestrutura é desligada de forma controlada em um horário de menos utilização da infraestrutura – normalmente na madrugada – e com os clientes sendo avisados com antecedência.

Nesse momento de teste, a infraestrutura de TI e os equipamentos de refrigeração, alimentação de energia elétrica e de telecom de uma parte do data center são verificados para conferir se eles funcionam de maneira segura e independente enquanto o outro lado é desligado. No mesmo dia, o “lado B” é testado após o “lado A” ter sido testado e ter os seus serviços restabelecidos.

Com esse tipo de cuidado e boa prática, um Data Center Tier III consegue o mesmo nível de segurança que o de um avião. Por isso, se a sua empresa não pode parar e quer contratar um serviço que garanta a continuidade das operações independentemente do que aconteça, o mais indicado é que você procure um prestador de serviços com esse diferencial de mercado.

 

Link da agência Brava Digital